cresol mobile

23.09.2021 às 17:09h - atualizado em 23.09.2021 às 17:19h - Geral

Engenheiro agrônomo destaca floração da corticeira, uma árvore medicinal

Adilson Kipper

Por: Adilson Kipper Iporã do Oeste - SC

Engenheiro agrônomo destaca floração da corticeira, uma árvore medicinal
Corticeiras em Iporã do Oeste

Continua depois da publicidade

Na terça-feira, dia 21, foi comemorado o Dia da Árvore e nesta quarta, 22, iniciou a primavera. Não muito comum na região, a corticeira da serra é uma espécie de árvore que chama muita atenção, principalmente nesta época do ano, em que demonstra toda sua beleza através das floradas.

De acordo com o engenheiro agrônomo de Iporã do Oeste, Marcos Pohlmann, a corticeira existe desde a Bahia até o Rio Grande do Sul, inclusive em países vizinhos do Sul brasileiro, como Paraguai e Uruguai. A corticeira da serra pertence à família das leguminosas, a mesma do feijão, tanto que sua vagem e sementes são parecidas com o feijão, embora o porte chegue entre 30 a 35 metros.

O engenheiro agrônomo pontua que ela é utilizada na construção civil, para fazer caixarias, tabuados e também pode servir como boia para pescaria ou canoas, em função da sua leveza. A corticeira também possuiu propriedades medicinais e é muito usada pelos indígenas, para produzir o chá da casca, para tosse, onde fazem bochecho contra infecções na boca. O chá da casca também combate doenças no fígado, hepatite, dores musculares, dor de dente, bexiga, hemorróidas, e também em função das folhas, é muito utilizada no período da menopausa.

A florada da corticeira atrai muitos pássaros, tendo o beija-flor como seu principal polinizador. Segundo Pohlmann, ela também é uma árvore com característica melífera, pois atrai muitas abelhas. A floração vai de setembro até novembro, e a frutificação, quando as sementes estarão prontas para germinar, é de dezembro até abril.

O engenheiro agrônomo de Iporã do Oeste lembra ainda que a casca da árvore possui um produto utilizado pelos indígenas para entorpecer peixes, de modo a facilitar a captura. Devido ao crescimento rápido, a corticeira também pode ser usada na recuperação de áreas degradadas e para a questão ornamental.

Marcos Pohlmann salienta que é possível obter as mudas em alguns viveiros, embora com um pouco de dificuldade. Em Iporã do Oeste, cerca de 20 foram plantadas no ano passado, na área da FAIC, e segundo o engenheiro agrônomo, daqui há alguns anos haverá flores de corticeira na cidade.

Foto(s): Jornei de Souza/Portal Peperi

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.