cresol mobile
Polícia

21.11.2020 às 14:01h - atualizado em 21.11.2020 às 15:30h - Polícia

VÍDEO: Moradores reclamam de algazarra em loteamento e cobram rondas da PM

Cristian Lösch

Por: Cristian Lösch São Miguel do Oeste - SC

VÍDEO: Moradores reclamam de algazarra em loteamento e cobram rondas da PM
Cristian Lösch / Portal Peperi

Continua depois da publicidade

A reportagem da Peperi foi acionada por moradores, do loteamento Monte Belo, bairro Agostini em São Miguel do Oeste, para reclamar da algazarra que é registrada no local.

Segundo Alexandre Agostini, a situação é complicada, principalmente no horário de final da tarde, quando ele chega do trabalho. Nesse período, sempre há pelo menos de 10 a 15 motos e os condutores ficam empinando, fazendo arruaça e muito barulho, além de danificar o asfalto do local.

Agostini ressaltou que a situação fica ainda pior, por volta das 20h, quando outras pessoas começam a chegar para consumir bebida, usar drogas, fazer “borrachão” e ainda deixam todas as garrafas nos terrenos. Para o morador, eles estão se sentindo presos em um lugar onde pensaram ser um “paraíso” para se viver.

Alexandre destacou um fato que ocorreu nesta sexta-feira, 20, onde ele foi conversar com um jovem que estava empinando e acabou sendo ameaçado pelo mesmo.

O morador também fez uma dura cobrança à Polícia Militar do município. Alexandre afirmou que muitas ligações são feitas para a PM, e que a companhia solicita a placa do automóvel, mas isso é inviável fazer, pelo fato de que ele pode ser agredido e a família ameaçada pelas pessoas que ali estão. Além disso, Agostini relatou que está cansado de ligar para a polícia e a guarnição não aparecer no local ou só aparecer horas depois.

Para a reportagem da Peperi, Alexandre ainda comentou que a PM sabe os horários da bagunça e que os moradores estão precisando de policiamento no local, de mais rondas da polícia, para coibir os malandros que frequentam o ambiente.

- OUÇA A ENTREVISTA COMPLETA:

Para a moradora Aline De Oliveira, que tem uma filha de 17 anos e um filho de 5, a situação também está sendo complicada e de muito medo. A mulher contou para a Peperi, que como o loteamento é distante da cidade e a PM não passa com frequência, teme acontecer algo com a família, qualquer hora.

Ela relatou que no período de construção da sua casa, um grupo de pessoas chegou a utilizar a construção para a realização de uma festa e além de consumir bebidas, também usaram drogas.

Aline reforçou o pedido e também cobrou da Polícia Militar uma maior atenção no local, com a realização de rondas e abordagens das pessoas que estão em atitude suspeita e circulando no ambiente.

O jornalismo da Peperi já entrou em contato com o comando do 11º Batalhão da Polícia Militar, que deve se manifestar nas próximas horas.


Foto(s): Cristian Lösch / Portal Peperi

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.