cresol mobile

15.09.2021 às 09:50h - Economia

Juros básicos podem ter maior alta em 21 anos

João Bresolin

Por: João Bresolin São Miguel do Oeste - SC

Juros básicos podem ter maior alta em 21 anos
Divulgação

Continua depois da publicidade

O Comitê de Política Monetária do Banco Central se reúne na próxima semana para decidir qual será a taxa básica de juros vigente na economia brasileira até o final de outubro. Com os recentes saltos da inflação, algumas projeções já sinalizam para a maior alta da Selic desde 2002.

A decisão pela variação recorde após quatro avanços consecutivos dos juros, que levaram a Selic ao atual patamar de 5,25% ao ano, deve levar em conta as surpresas trazidas pela alta disseminada da inflação dos últimos meses.

Somente em agosto, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo subiu 0,87% e registrou a maior alta para o mês dos últimos 21 anos. No acumulado dos últimos 12 meses, a variação dos preços encostou nos 10%, patamar já superado em oito capitais brasileiras.

A alternativa pela elevação da taxa de juros é o instrumento de política monetária mais utilizado para reduzir a inflação. Isso acontece porque os juros mais altos encarecem o crédito, reduzem a disposição para consumir e estimulam outras alternativas de investimento.

Nesta terça-feira, 14, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, afirmou que o plano da autoridade monetária para combater a inflação mira horizonte mais longo e vai "fazer o que for necessário" para devolver o índice de preços à meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional. Ainda assim, ele disse que o BC não terá reações precipitadas a cada novo dado inflacionário.

Fonte: R7

Comentar pelo Facebook

Fique por dentro das últimas novidades do Portal Peperi.